Informação & Inovação

Quatro carros ou motos são roubados por hora

A cada 1 hora

A cada uma hora quatro carros ou motos são furtados ou roubados no Brasil. Em um ano mais de meio milhão de veículos foram subtraídos dos seus donos com ou sem prática de violência ou ameaça armada.

Os dados são do IBGE coletados na pesquisa nacional por amostra de domicílios. A PNAD Contínua, ao longo de dois mil e vinte e um.

Segundo o levantamento, quatro milhões e quatrocentos mil domicílios brasileiros tinham ao menos um morador vítima de furto ou roubo.

Por meio de furto foram trezentos e quarenta e dois mil veículos. Cento e noventa e dois mil carros e cento e cinquenta mil motocicletas.

A prática de roubo com o uso de violência ou ameaça armada tirou duzentos e vinte e dois mil veículos de seus donos. Cento e dezessete carros e cento e cinco mil motos.

Entre oitenta e noventa e um por cento das vítimas deram queixa da ocorrência à polícia ou guarda civil. Esse tipo de crime teve queda no período mais agudo da pandemia de covid-19, por imposição da quarentena.

Mas os números atuais apontam para uma elevação das estatísticas em diversos estados do país.

A cada 1 hora
Reprodução

Aumento de 30% no roubo de veículos somente no Estado de São Paulo

Secretaria da Segurança Pública corrobora estes dados apontando que somente em outubro houve um aumento de 30% no roubo de veículos. Em agosto foram registrados oficialmente 3.086 eventos, em setembro 3.274, e agora em outubro, 3.945 veículos foram veículos.

Empresas que representam o nicho de proteção de veículos registraram uma alta significativa nas ocorrências em todo o Brasil. Conseguimos dados de uma delas referente ao mês de novembro.

De acordo com uma Associação de Proteção Veicular entrevistada, além de roubos e furtos outro dado que assusta é o de Colisões:

-Aumento de 81% em Colisões de associados, sobre a média anual
-Aumento de 89% em Colisões em terceiros, sobre a média anual
-Aumento de 56,52% em Eventos de sinistro, sobre a média anual

Valor do Seguro Automotivo sobe até 55%

Com estes fatores o valor do Seguro Automotivo subiu. Em média, quem foi renovar o seguro teve um susto – alta foi de 55% para homens e 47% para mulheres entre agosto de 2021 e o mesmo mês de 2022.

No entanto, os preços chegaram a mais que dobrar para alguns modelos de veículos. O seguro para o Fiat Argo, por exemplo, subiu 138% para mulheres e 112% para homens – segundo dados do Índice de Preços do Seguro Automóvel (IPSA) e do grupo Creditas.

A cada 1 hora
Reprodução

Proteção Veicular, uma boa alternativa para proteger seu veículo

Em vista desse cenário, um número crescente de proprietários tem buscado por serviços de Proteção Veicular, como forma de aumentar sua segurança e de seu patrimônio. 

Como funciona?

Os serviços são pagos através de um fundo coletivo administrado pela Associação de Proteção Veicular (pagamentos de serviços, indenizações e consertos destes associados)

Trata-se de uma série de serviços que uma Associação oferece a pessoas de perfis diferentes que, em muitas vezes não pode ter amparo de uma companhia de seguros.

Perfil

Quem presta este tipo de serviço não vai se importar com seu perfil, e sim no seu patrimônio. A avaliação do seu bem não vai se basear na sua renda ou algo que dificultará sua adesão (ex: onde você estaciona ou se tem garagem).

Valor mais atrativo

Preços mais populares, em alguns casos com menos de R$ 20 reais por mês.

Por que é mais barato que seguro?

Certas regulações que as seguradoras devem seguir por efeito de lei, não se aplica as Associações, que por sua vez trabalha com uma relação diferente com cada um de seus clientes. Vale lembrar que esta atividade é respaldada pela Constituição Federal.

ApVale News: Robson Soares

Leia também:

Pilotos e comissários aprovam greve nacional

Aumento no Pedágio: mais rodovias paulistas entram no “bolo”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp