Informação & Inovação

Acidentes com fogo disparam nas festas juninas

Acidentes com fogo

Acidentes com fogo: Junho é o mês de brincadeiras ligadas a fogos e fogueiras típicos das festas juninas. Especialistas alertam que os cuidados maiores devem estar direcionados às crianças.

Uma das primeiras orientações é observar a origem dos fogos adquiridos e não usar materiais de fabricação caseira. Para qualquer tipo de material a presença de um adulto é essencial alertam os médicos da UER-HC.

Fogos de artificio e fogueiras divertem a garotada e os adultos durante as festas juninas, mas também podem gerar preocupações e causar acidentes.

Acidentes com fogo
EBC

100 mil pessoas são vítimas de acidentes com fogo

O Ministério da Saúde estima que, por ano, mais de 100 mil pessoas são vítimas de queimaduras no Brasil. Do total, duas mil e quinhentas morrem em decorrência das lesões.

A pasta não separa, no entanto, a quantidade que pode ser relaciona aos fogos de artifício. Por isso, todo cuidado é necessário; o artefato precisa ser comprado em lojas especializadas.

E o lançamento do foguete tem que ser feito em lugares espaçosos e abertos, diz o tenente do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Pedro Aihara.

Acidentes com fogo
EBC

Acidentes com fogo + Guerra de Espada

Uma brincadeira perigosa é a chamada Guerra de Espada, que, mesmo proibida desde 2011, é tradição em algumas cidades do Nordeste.

Nesta semana, um menino de 11 anos foi internado após ser atingido no rosto por uma espada, em Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano.

Acidentes com fogo
Gov BR

Alguns cuidados que podem evitar lesões

Na hora de soltar fogos, os médicos destacam alguns cuidados que podem evitar lesões nas mãos, braços, rosto ou mesmo auditivas.

*Nunca soltar rojão segurando diretamente na mão:

*O ideal é interpor com vários rojões já usados ou mesmo varetas, deixando uma distância de pelo menos 60 cm da mão e afastado do rosto;

*Não apontar para onde há pessoas circulando;

*Evitar proximidade com fios elétricos.

Outro cuidado com às crianças é com as tradicionais “biribinhas”.

“As faíscas podem acabar atingindo substâncias com potencial para incêndio, como o álcool utilizado para iniciar o fogo das fogueiras, por exemplo”, esclarecem os especialistas.

Até o momento a UER do HC não registrou nenhuma ocorrência desse tipo.

Por Apvale.News – Robson Soares, UER-HC e Ministério da Saúde

Veja ainda:

Passageiro é preso com milhões em pacotes de café

Anúncios falsos: Golpe dispara no Instagram

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp