Informação & Inovação

Alimentos ultraprocessados fazem mal a saúde?

Alimentos ultraprocessados

Comer mais de 500 calorias por dia de alimentos ultraprocessados – como hambúrgueres, salgadinhos, pizzas congeladas e biscoitos embalados – é associado a uma queda mais rápida das funções cognitivas.

É o que aponta um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) com quase 11 mil brasileiros.

Isso equivale aproximadamente a duas roscas ou meia pizza congelada, dependendo da marca escolhida.

A pesquisa, realizada com 10.775 homens e mulheres no Brasil, concluiu que pessoas que comeram mais alimentos ultraprocessados tiveram um ritmo de declínio cognitivo global 28% mais rápido do que as que comeram uma menor quantidade desses alimentos ao longo de um período de oito anos.

Alimentos ultraprocessados: mais de 50% da dieta alimentar de muitas pessoas

A ingestão de alimentos ultraprocessados nos EUA e no Reino Unido corresponde a mais de 50% da dieta alimentar de muitas pessoas, e o estudo – publicado na revista médica JAMA Neurology – indica as consequências negativas do consumo em excesso desses tipos de alimentos para a saúde.

Alimentos ultraprocessados
Divulgação

Alimentos não saudáveis causam problemas de saúde

Críticas sobre estudos específicos à parte, pesquisadores de medicina e nutrição como Mellor concordam que dieta alimentar e nutrição são dois dos maiores fatores de risco atualmente para a saúde das pessoas em todo o mundo.

Evidências mostram claramente que a obesidade é atualmente um problema maior do que a fome mundial.

Alimentos ricos em gordura, açúcar e sal – ultraprocessados ou não – estão ligados a muitos problemas: obesidade, doenças cardiovasculares, câncer e aumento da mortalidade por todas as causas.

Um relatório recente do Painel Global sobre Agricultura e Sistemas Alimentares para a Nutrição – um grupo independente de especialistas em nutrição e saúde – sugere que países em desenvolvimento, onde a venda de alimentos processados está crescendo a taxas mais rápidas, estão particularmente em risco nos próximos anos.

De acordo com o relatório, mais de 3 bilhões de pessoas não têm acesso a uma dieta alimentar saudável, causando má nutrição.

Alimentos ultraprocessados
Reprodução

O que fazer para ter uma dieta saudável?

Nunca é tarde para começar a comer alimentos saudáveis. Estudos mostram que padrões alimentares saudáveis, como os da região do Mediterrâneo, ajudam a reduzir o declínio cognitivo e o risco de doenças cardiovasculares.

A dieta mediterrânea enfatiza a ingestão de alimentos frescos e a redução de alimentos ricos em gorduras processadas, açúcares e sal.

“Tente desfrutar [de preferência com outras pessoas] de uma dieta simples e variada baseada em vegetais, nozes, leguminosas, sementes, frutas e grãos integrais e, se for o seu caso, de quantidades moderadas de laticínios e carnes não processadas”, afirma os pesquisadores.

ApVale News: Aline Felix (Universidade de São Paulo-USP)

Leia também:

Pilotos e comissários aprovam greve nacional

Mick Schumacher entra como piloto reserva na Mercedes

 

 

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp