Informação & Inovação

Lista Negra: sites que devem ser evitados na Black Friday

Emprego Digital

Lista Negra: Toda Black Friday é a mesma coisa: você quer aproveitar aquele grande desconto que só é possível encontrar nessa época do ano, mas sempre há o medo da “Black Fraude”, seja por falsas ofertas, possibilidade de golpe e fraudes, entre outras decepções.

Para ajudar consumidores a não se tornarem vítimas de golpes durante a Black Friday, a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de São Paulo disponibilizou uma lista com mais de 40 sites que os usuários devem evitar durante as compras.

Segundo o órgão, as plataformas citadas foram alvo de reclamações de consumidores e foram notificadas pelo Procon-SP, mas não responderam ou não foram encontradas.

A lista completa pode ser conferida no link (final do texto). No ano passado, foram registradas mais de 700 reclamações durante o período.

Lista Negra
Divulgação

Lista Negra: motivos de reclamação dos compradores 

*Atrasos na entrega

*Não recebimento do produto

*Cancelamento de pedido

*Mudança de preço ou indisponibilidade do produto ou serviço adquirido

Além disso, o Procon-SP informou que as empresas que mais receberam reclamação durante 2021 foram grandes plataformas como Americanas, Submarino, Shoptime, Sou Barato, Casas Bahia, Pontofrio, Extra, Magazine Luiza, Carrefour e Etna.

“Ao comprar pela internet, o consumidor deve estar alerta para a existência de sites e perfis de redes sociais falsos ou aqueles que oferecem ofertas enganosas.

Lista Negra
Divulgação

Dados do fornecedor devem ser checados

Os dados do fornecedor devem ser checados antes de qualquer compra ou contratação –observar se a empresa tem endereço físico, consultar o CNPJ no site da Receita Federal e verificar se foi criada há poucos dias são medidas importantes.

O consumidor deve estar atento à forma como procura o fornecedor, não deve clicar em links enviados por e-mail, WhatsApp ou mensagens. É ele quem deve buscar o fornecedor por sua iniciativa, acessando as páginas oficiais”, orienta o Procon-SP.

Além disso, o Código de Defesa do Consumidor prevê que o comprador tem direito à devolução do item adquirido em até sete dias da compra ou da entrega, sem cobrança de valor.

A lista foi criada em 2011 e conta atualmente com 41 sites, com sua última atualização realizada em julho deste ano. Veja abaixo todos os sites que o Procon-SP recomenda a todos evitarem.

A Lista

ApVale News: Robson Soares

Veja também:

Horário dos bancos nos jogos do Brasil na Copa

Cuidado com os gastos neste Fim de Ano

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp