Informação & Inovação

Pesquisa mostra ampliação do uso do Pix

pesquisa

Pesquisa: Segundo uma pesquisa sobre ampliação do uso do Pix como forma de pagamento, 66% dos entrevistados já fizeram pagamentos para profissionais liberais e trabalhadores informais via Pix.

Além disso, 72% das transações são feitas entre pessoas físicas. É o que mostra o estudo “Pix no Brasil: Cenário e Oportunidades” da Capco, consultoria global do Grupo Wipro.

A pesquisa indica que a ferramenta vem criando novas oportunidades de negócio e facilitando operações para consumidores, empreendedores e até pessoas físicas que fazem transações usuais do dia a dia.

Quem pode confirmar essa análise na prática é Ana Rayssa da Silva, fotógrafa do Distrito Federal que atua no próprio negócio e tinha dificuldades com pagamentos por TED ou DOCs.

pesquisa
BC

Pesquisa aponta cenários para desenvolvimento da ferramenta

A pesquisa ainda mostra cenários que podem ser estudados para um melhor desenvolvimento da ferramenta. A possibilidade de parcelar compras com Pix, por exemplo, está nos planos do Banco Central para 2023.

Quase metade dos entrevistados do levantamento, 40%, indicam que ficariam mais propensos a migrar dos pagamentos em cartão para o Pix com esse parcelamento.

O uso dos cartões de crédito ou débito ainda é preferido hoje por 66% dos entrevistados, que justificaram os sistemas de recompensas como argumento pela preferência, como programa de fidelidade, descontos e cashback, entre outros. A segurança dos pagamentos com Pix também vem sendo debatida.

A pesquisa conclui que, apesar da grande aceitação e eficiência em transferências de dinheiro, o Pix precisa de alguns ajustes para atingir todo o potencial como meio de pagamentos no varejo.

pesquisa
EBC

Benefícios com a utilização do PIX

Fatores como o tempo para realização das operações e a falta de recompensas do sistema, como acontece com os cartões de crédito, são alguns dos exemplos de implementação que beneficiariam ainda mais a utilização.

“Nossa análise indica que o tempo que o cliente leva para realizar um pagamento via Pix pode ser até duas vezes maior na comparação com outros meios de pagamentos físicos.

É essencial, portanto, que as instituições financeiras otimizem suas jornadas de operação do Pix, reduzindo o tempo necessário para a realização de pagamento por este meio”, destaca Aline Lemos, consultora da Capco Brasil.

Por Apvale.News – Robson Soares com Banco do Brasil e Capco

Veja ainda:

Atenção estudantes para as inscrições para o Prouni e Fies

Detran-SP faz mutirão para renovação de CNH

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp