Informação & Inovação

Sistema tributário é o grande vilão do empreendedor

Sistema tributário

O sistema tributário brasileiro é o grande vilão da competitividade das empresas nacionais. Vale lembrar que, segundo relatório publicado pelo Banco Mundial em 2021, as empresas brasileiras gastam em média, entre 1.483 e 1.501 horas por ano para preparar, declarar e pagar impostos.

O tempo é maior do que em qualquer outro país.

Além de complexo, o sistema tributário brasileiro é oneroso, figurando entre os mais caros do mundo. As empresas nacionais pagam, em média, 65,3% de seus lucros em tributos a cada ano.

É como se a cada R$ 100 de lucro, os empresários do país tivessem que pagar mais de R$ 65 só em impostos.

Sistema tributário
Divulgação

Sistema tributário e o ranking competitividade

Depois de 12 anos, o Brasil voltou a subir no ranking Competitividade Brasil. O país ultrapassou o Peru e, agora, é o 16º colocado entre 18 países.

O ranking é produzido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) desde 2010 e tem como objetivo examinar o potencial competitivo das empresas brasileiras frente ao setor empresarial de outros 17 países com características semelhantes ao Brasil ou que competem com ele no mercado internacional.

Fazem parte do levantamento África do Sul, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Índia, Indonésia, México, Peru, Polônia, Rússia, Tailândia e Turquia.

A posição do país no ranking é consequência de como cada nação performa na soma de nove fatores de competitividade analisados.

Sistema tributário
Divulgação

Financiamento, ambiente de negócios e tributação

A posição do Brasil no estudo se deve à melhoria nos fatores financiamento, ambiente de negócios e tributação. Apesar de terem contribuído para a subida do Brasil no ranking, os fatores financiamento e tributação são aqueles em que o país se sai pior.

Em financiamento, o Brasil ocupa a última posição. Já em tributação é o penúltimo. Mesmo ganhando uma posição, o país continua entre os três últimos colocados do ranking. Além do Peru, só a Argentina está atrás do Brasil.

ApVale News: Robson Soares com Br61

Veja ainda:

Chuva e rodovia, uma combinação perigosa

Italiano vive há 51 anos sem eletricidade

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp